sexta-feira, 12 de março de 2010

LEMBRANÇAS

LEMBRANÇAS

Parece que foi ontem que olhei nos teus olhos.Mas, hoje faz exatamente... qto tempo?

Um ano...dois anos...três anos ou quatro anos...? Você sabe...???

Como o tempo corre... e mais veloz ainda meu pensamento em busca da sua imagem.

Como no início do embarque falei que aqui não se volta ao passado e assim será.Nesse

instante falo de lembranças que meu coração quer gritar e isso EU não posso mudar.

Porque não se deixa de amar alguém apenas por ter chegado a hora.Ama- se e pronto!

Vejo ainda meus sonhos jogados ao vento sem nenhum valor.Vejo um abraço que me

fora negado e o beijo que eu tanto queria? Tudo ficou na poesia dos meus sentidos...

Quem se importa com isso? Eu me importo e muito! Agora quero ser feliz de um jeito só

meu. Meu caminho só eu saberei caminhar.Sem atalhos e sem anexos para detalhes.

Sem bate-papos, sem retrospectiva aos sonhos passados e tão reais.

Aqui começa a viagem ao meu mundo.Com o meu amor maior como suporte técnico.

Sem reflexos e sem afetos ao desamor.Apenas o meu coração como lembrança.


Um comentário:

  1. Olá Passageira,

    Hoje estou "entrando" no teu mundo sem te ter pedido licença para nele entrar.

    Me desculpa!

    Lamento a rotura.

    Lamento o embate.

    Sei o que sofres!

    Lamento não poder mais ajudar-te.

    Mas tens aqui um Amigo que te quer Bem e que te deseja o Bem.

    Sempre que quiseres, sempre que precisares, estarei onde sabes que podes encontrar-me.

    Não hesites em pedir ajuda se dela precisares.

    Amanhã será outro dia e não feches a Porta ao Amor apenas porque algo te machucou no passado.

    Atrás de uma noite vem sempre um outro dia, atrás de uma Tempestade vem sempre a Bonança.

    É nisso que tens que acreditar Passageira.

    É esse o teu Norte.

    Um abraço Amigo e um até sempre,

    José Gonçalves
    (Guimarães)

    ResponderExcluir

Passageira em busca da sabedoria.
Porque, somente quem está no amor é sábio, mesmo que não seja letrado e nem arquiteto das palavras.
Carinhosamente e sempre presente, mesmo que ausente.