quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Caminho do Oceano

Hei de guardar em meu coração o teu despertar.



Espero anciosa a tua volta, mesmo que seja fragmentos.


Eterno e minúsculo é o tempo sem você exato para me falar.






É dessa sua água, escrita ou falada que regresso à vida.


Acalento de ti o afeto que você esquecera de levar.


Se me cativou, porque não me devolve a esperança?






Louca eu não sou por te querer amor, voz de outrora.


Mostre-me o caminho do oceano, e, se me encontrar fora de hora[...]


Atenta estarei: louca eu seria se te perdesse outra vez[...]














segunda-feira, 3 de outubro de 2011

IMPRESSÃO

Não era sonho! Era maior que o mar.
Suave como a brisa, à me amar.
Era o sol, como canção à me saudar.

Voz de ternura.Longe, intocável.
Abriu-se em mim a esperança.
Logo desfeita pelo teu adeus.

Muito além, reina sem fragmentos.
Navegando outros mares, “atento”.

domingo, 2 de outubro de 2011

FALTA

Foi, felicidade, sim!
Dos detalhes
O coração revela.
Sintonia, saudades.
Sensibilidade, sim!
Uma voz serena.
Mensagens que mantinham 
Nosso palco de emoção.
Era só de mim o silêncio.
Fora breve ilusão?
Não! Foi real...
Quase invisível ficou.
Foi imensa essa dor.
Tudo, por...
Falta...
do teu  A M O R !

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

ARCO-ÍRIS

Chama intensa
Que brilha sem cessar
De uma luz intensa
Que é todo meu pensar.

Tem senso de direção
E é mais que uma passagem
Sua presença é emoção
De uma parte à outra margem

Ilumina sentimentos
Abraça todo o meu tempo.
Aquece os meus momentos.
Sublime silêncio, feito de amor.

Sim! É assim a textura...
Ausente do tempo esse amor!
Não é passageiro como minhas palavras.
Às suas cores, transpõem o arco-íris.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

FRAGMENTOS

Reconhecimento.
Extrema empatia.

Forma expressiva.
Sintonia e equilíbrio.

Aproxima o tempo
Que os dias não registra.

Nessa passagem
Pela última dimensão!
Há fronteiras com o desconhecido.

Sem respostas ao silêncio.
Provas sem resistência.
Alinhamento pleno!!!

Há um abismo intrasponível.
Não posso ainda, trancender ao limite.
Preciso entender a parte fragmentada.

A intuição tranpõe os sonhos.
Dessa força, há uma ponte de energia.
Uma fonte da cor do amor...





terça-feira, 27 de setembro de 2011

" ADENTRO "

                                                                [...]Como tocar mar adentro
                                                                Os teus sentidos "afins"...?
                                                                 Como saudar ao teu nobre silêncio?
                                                                 Como chegar ao teu coração...?
                                                                

                                                                      Como transcender à sua inegável sabedoria?
                                                                 Vou esperar a próxima estação.
                                                                  Quero chegar ao Porto, com segurança.
                                                                  Não preciso de provas modernas
                                                                   Para navegar as minha emoções.

                                                                   Se eu quiser
                                                                    Posso transpor até,
                                                                    O mar adentro...
                                                                     Além do teu amor.[...]

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ÀS ESTRELAS

É primavera aqui em meu coração.
Lá fora, também, faz-se estação.
Simplesmente brilham, mesmo que seja noite.
Neste céu eu posso tocar[..]
Consciente te encontro.
A essência flui.
A dualidade não influi.
Tua presença é o único real.
Pensei que não podia
SER, essa força que me leva até você...
mas, eu posso...[...]
Estou 100% unida à essa energia que se encaixa
em tudo, sem precisar de detalhes!
Os detalhes são provas.
Provas de silêncio.
Virão outras noites, assim.
Mas, da luz que vem de ti!
Tudo ficará claro como o fogo, 
que reluz como ouro.
Sinto o teu afago
e sem precisar do astral...!!!
Aqui posso refinar 
a tua luz...
Às  estrelas.